Ansiedade, stress, depressão, Imensamente, Imensamente Leiria
A ansiedade é simplesmente andar a pensar, antecipar, viver um futuro do qual não temos controlo. Por mais que o tentemos imaginar e gerir como gostaríamos, a verdade é que, até esse momento chegar, muita coisa acontece e tudo muda. E isso cria frustração, desilusão, sentimento de impotência e tristeza. Ansiedade – Viver o Futuro Imaginário.
Só podemos controlar o presente, o que vivemos agora. E é agora que temos que ir agindo no sentido de termos uma vida tranquila, feliz e saudável porque só isso é que dá mais garantias que o nosso futuro também o seja. A ansiedade faz com que não se viva em tempo nenhum, impede-nos de desfrutar de tudo e todos que nos rodeiam. Há muitas formas de combater a ansiedade e viver simplesmente o aqui e agora.

Ansiedade, Imensamente, Imensamente Leiria

Dicas para ajudar no dia a dia de quem sofre de ansiedade: aos primeiros sintomas de ansiedade colocar o foco na respiração, tomando consciência do processo de respirar e fazendo um esforço por controlar o ritmo da respiração, tornando-a mais pausada e profunda. Isto ajuda a controlar o excesso de oxigénio que está a ser levado para o nosso corpo através da respiração acelerada e que está a intoxicá-lo e a impedir de pensar de forma clara e organizada. Além disso permite que o foco da atenção seja a respiração e não o medo, e permite acalmar as centenas de pensamentos que invadem a cabeça nesse momento de ansiedade. Nestes casos pode ajudar respirar para dentro de um saco de papel porque ajuda a regular o nível de oxigénio excessivo.
O outro passo é a pessoa falar consigo própria, com o seu medo e desafiá-lo a mostrar tudo de que é capaz. Pode parecer ridículo mas isto ajuda, mais uma vez, a focar a atenção, e não no medo enquanto algo assustador e que não controlamos, mas como algo sem sentido, sem lógica e até patético e que nós temos o poder de confrontar, controlar e eliminar.
É como o papão debaixo da cama que só percebemos que afinal não precisávamos ter medo, quando espreitamos debaixo da cama e vemos que não está lá nada. Ao fazer isto retiramos importância ao medo e assumimos o controlo.
Todos esses sintomas são normais nas situações de ansiedade perante perigos reais porque nos permitem reagir, ou seja, lutar ou fugir. Nessas situações o nosso corpo reage com alguma ação e por isso faz uso dos músculos contraídos, do oxigénio, da adrenalina, etc. O problema da ansiedade criada por medos imaginários é que não reagimos, ficamos estagnados e por isso o nosso corpo fica simplesmente a intoxicar-se e a sofrer